domingo, abril 04, 2010

aguarela por mim pintada em Jan/2010

ATITUDES I

Entrelaçam-se os olhos
Com gelo a escorrer cara abaixo.

Corpos imóveis em rigidez total.

Das bocas sai o silêncio.

Apenas um ligeiro batucar dum pé
Relembra que são seres vivos.


ATITUDES II

Corre, corre, corre.

O suor salpica-lhe a cara,
Cola-lhe a roupa ao corpo.

Corre, corre, corre
Até cair fulminado por um raio.


LEVITAÇÃO

A trote atravessa as grades

A passo esbarra com a parede

A galope alcança o voo

Fica a pairar entre a terra
E as nuvens que se adensam.

ESCOLHA

O céu dividiu-se.

Dum lado o sol brilha
Do outro está cinza chuvosa.

Saltito entre os dois lados
A experimentar os opostos.
Hesito na escolha.

O sol é aliciante mas…

Então um soberbo arco-íris
Surge no cinza
Atraindo-me hipnoticamente
Para si.


QUIMIO

Os tubos enrolam-se-me
Por todo o corpo.
Dentro de mim uma maré química
Torna-me sonolenta.

A cara fez-se árvore

Nas pernas a tremura

Caio num torpor sem sonhos
Que me afasta de mim.

Fico num limbo,
No meio de algas
Que me aconchegam
Mas gelam.

Restam as mãos
Tornadas transparência
Onde nada já se segura.

Adormeço por fim.

Teresa David/2010





Após uma ausência de algum tempo e de vazio criativo, alguns poemas me surgiram esta semana e aqui os partilho convosco.

15 comentários:

Marta disse...

Nada te afasta de ti....
Belos, Teresa...Gostei muito das cores da aguarela...
Beijos e abraços
Marta

ASPÁSIA disse...

TERESINHA

COMPREENDO QUE OS POEMAS NÃO SEJAM MUITO ALEGRES, MAS O QUE IMPORTA É QUE ARRANJASTE FORÇA E CRIATIVIDADE PARA EXPRESSARES POETICAMENTE NESTE RAMALHETE O QUE TE VAI DENTRO.

TAMBÉM GOSTEI DA AGUARELA, UM POUCO CINZENTA MAS COM UMAS FLORES VERMELHAS A ROMPEREM EM PROMESSA DA PRIMAVERA QUE TARDA EM CHEGAR...

BEIJINHOS

jorge vicente disse...

e os poemas são como artérias de VIDA que te fazem viver e sentir, Amiga.

Um grande abraço
Jorge

jorge vicente disse...

e os poemas são como artérias de VIDA que te fazem viver e sentir, Amiga.

Um grande abraço
Jorge

Justine disse...

Doces, dolorosas, vibrantes, as tuas impressões transmitidas em poema. Suaves e belíssimas, as que me transmites na aguarela.
Obrigada pela partilha.
Um beijo grande de amizade e força

eugenia bettencourt disse...

Amiga, para já adorei ver a tua carinha laroca.Continuas bonita. Gostei muito dos poemas embora transmitam sentimentos menos festivos, mas a festa virá em breve!!! Gostei muito da tua aguarela. Obrigada,e Jokas

eugenia bettencourt disse...

Amiga, para já adorei ver a tua carinha laroca.Continuas bonita. Gostei muito dos poemas embora transmitam sentimentos menos festivos, mas a festa virá em breve!!! Gostei muito da tua aguarela. Obrigada,e Jokas

bettips disse...

Poemas e águas-tubos
pelos quais respiras e nos falas.
Ah! Ainda bem.
E como te compreendo "quando o arco íris" é uma escolha de viver mais feliz, apesar dos lados da chuva ou sol.
Um beijo

Maria disse...

Querida Teresa, que luz enorme tens dentro, iluminando todos os cantos e recantos do sofrimento.
Deita-o fora, amiga, exorciza-o.
Lembro-me sempre de ti, mas o tempo desliza tão sorrateiro que quando vou telefonar-te... já não é decente fazê-lo!
Fico danada comigo!
Beijinhos com carinho,
Maria

M. disse...

Dói-me ler-te assim mas compreendo-te, Teresa. Há momentos em que as palavras têm que sair, nem que seja em frases quase impedidas de se mostrar. Talvez porque a dor é muita e o que apetece é calá-la.
E a aguarela é de uma enorme beleza, gosto muitíssimo.
Beijinho amigo.

viajante disse...

Lembras do livrinho vermelho com preços do " antigamente " ?
Está no TranAtlântico, finalmente.
Abraço.

Jorge P.G disse...

O último impressionou-me especialmente.

Que venha breve o tempo de mais aguarelas e mais poemas!

Um abraço sentido, mulher-coragem!

Benó disse...

Obrigada pela partilha. Há sempre amigos dispostos a ouvir-nos e a nos darem um ombro para repousar quando a maré nos torna sonolentas e ficamos num torpor sem sonhos.
Não deixes de ter SONHOS e continua a pintá-los para que se tornem realidade.
Um abraço amigo.

bettips disse...

Há meses, ficamos de nos encontrar e disse-me que me guardou um livro. Se algum dos seus queridos filhos passar aqui e quiser contactar-me, um dia, gostaria de o ter - já que não poderá jamais dedicar-mo com o seu riso aberto.
Sinceras condolências
Bettips
elicastro48@gmail.com
em 1.1.011

Maria João Brito de Sousa disse...

Teresa, escrevo com se estivesse entre nós...

Mais uma vez verifico a excelência do carácter da Leonor Nascimento que faz ressurgir este blog que eu penso nunca ter visitado e que agora se me apresenta tão vivo na sua poesia e na sua pintura...

Agora será o Tempo que, mais uma vez ditará as suas leis... ele e os que voltarem para ler estas palavras cristalizadas num espaço criado por si e pergunto-me se não será esta uma das mais belas formas de nos aproximarmos da eternidade, nós tão humanos, tão frágeis, tão efémeros...


O meu abraço ainda deste lado da vida...


Maria João